Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Geração à Esquerda

Geração à Esquerda

Os Cartazes de Marisa

O artigo de opinião de José Manuel Diogo no JN, intitulado de “Os Cartazes de Marisa”, revolta-me. Revolta-me a mim e deveria revoltar a todos nós, homens e mulheres. Dizer que Marisa Matias se apresenta nos seus cartazes de forma sexy e sedutora e que essa é uma estratégia errada para ganhar eleições presidenciais (mas que seria a estratégia certa caso fossem outras eleições) revolta-me.

No entanto, os comentários sexistas não tiveram apenas Marisa Matias como alvo, o autor do artigo refere-se a uma estratégia do Bloco que Esquerda que assente em mulheres jovens e bonitas, como a Mariana Mortágua e a Catarina Martins, para ganhar eleitorado. Em outros artigos que entretanto foram publicados sobre o assunto referem-se ainda a Joana Mortágua.

Mas focando-nos nos cartazes de Marisa Matias. São criticados os ângulos de onde foram tiradas as fotos e os slogans escolhidos. Tenho a certeza que num cartaz exactamente igual estivesse um homem não haveria problema nenhum, mas sendo uma mulher o seu olhar torna-se inequivocamente uma arma sexual e o slogan um apelo à conquista. Eu até podia dizer que o que me incomoda mais é a existência da híper sexualização da mulher no mundo e na política, que é ridículo descredibilizar uma mulher por ser jovem e bonita, poder-me-ia referir aos ataques constantes de que as mulheres são alvos na sua actividade política por a sua voz não ter o timbre correcto, por não mostrarem firmeza a não ser que se comportem de forma “máscula” ou por serem alvo de críticas quando decidem que o seu papel político vai para além dos Gabinetes de Mulheres Socialistas e outros que são considerados “apropriados para as mulheres”. Mas o que me revolta mais, o que me revolta mesmo, é saber que o único motivo pelo qual estas mulheres são vítimas de comentários deste género é o simples facto de serem inteligentes.

Se Marisa Matias, Mariana e Joana Mortágua ou Catarina Martins fossem mulheres lindas jovens e burras não haveria problema nenhum. O problema é tão “simples” como elas serem inteligentes e, ainda por cima!, “acharem que podem”, “terem o descaramento”, de o mostrar na sua acção política.

Podia dizer muito mais sobre o caso, mas fico-me por um obrigada! Obrigada Marisa Matias, Mariana e Joana Mortágua, Catarina Martins, e todas as outras mulheres jovens, lindas e inteligentes que fazem trabalho político, por lerem artigos de opinião como estes e ainda fazerem um melhor trabalho no dia seguinte, porque sabem que a melhor forma de contraditório que as mulheres possuem não são os seus “berros esganiçados”, mas sim mostrarem dia após dia o seu valor.

 

Ana Sofia Santos

 

2 comentários

Comentar post

Colaboradores

Ana Sofia Santos

Carlota Borges

Carolina Correia

David Serrachino

Diogo Amaral

Filipe Barroso

Filipe Fernandes

Fábio Romão Morgado

Geração à Esquerda

Hugo Carvalho Gonçalves

João Quartilho

João Rocha

Mafalda Monteiro

Miguel Matos

Nuno Menezes

Raquel Rodrigues

Rui Lopes

Sofia Lopes

Tânia Teixeira

Teresa Fernandes

Tomás Santos

Mensagens

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D